"Há tanto tempo que te amo"

"Há tanto tempo que te amo"

O filme é uma aula de Criminologia quanto ao momento pós-cárcere.

A saída de um indivíduo, depois de anos no sistema prisional, traz a ele diversos problemas de adaptação, seja para consigo mesmo (o aceitar-se como membro daquela sociedade), seja em termos coletivos (as discriminações sociais diversas: etiquetas variadas). Estas são de difícil separação, uma vez que pode a não auto aceitação ter como principal causa aquelas mesmas discriminações sociais. Em grande medida, uma é oriunda da outra.

A escolha do calar-se por parte da encarcerada, ao sair de seu cumprimento de pena - paradoxalmente aos seus “problemas de readaptação” -, demonstra a insignificância de se ter um dia sido “fisgado” pela justiça criminal. Ao se ver o filme, entende-se melhor estes comentários.

Abaixo, a sinopse:

"Após 15 anos de ausência e rejeição, Juliette Fontaine (Kristin Scott Thomas) retorna à sua família. Léa (Elsa Zylberstein), sua irmã mais nova, decide abrigá-la em sua casa, onde mora com o marido, as duas filhas e o sogro. Porém aos poucos a causa que fez com que Juliette ficasse tanto tempo afastada volta a atormentá-los".

ASSISTA AO TRAILER: https://www.youtube.com/watch?v=jUsZ1pJdv-E

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!